<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8047882057411995768\x26blogName\x3dDepois+dos+Quinze.\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://depoisdosquinze.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://depoisdosquinze.blogspot.com/\x26vt\x3d-6378420169756237470', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Kiss
23 de jan de 2010 sábado, janeiro 23, 2010

Hoje não é o dia internacional do beijo, não estou apaixonada e nem estou afim beijar alguém nesse exato momento, eu apenas quero falar sobre isso. Vocês vão me chamar de louca - talvez eu seja - mas eu preciso confessar uma coisa: Eu não gostava de beijar. Pronto, falei. A única garota do planeta terra, uma aberração. Era estranho pra mim, não sabia como fazer. Tudo bem, estamos entre amigas: era bem nojento. O meu primeiro beijo foi traumatizante, o segundo inuSItado, o terceiro proibido e assim por diante. Com o tempo eu achei que iria me acostumar, não me acostumei. Não que isso seja um problema, mas agora você consegue entender o porque de eu não gostava de ouvir esse verbo: beijar. Será que eu era a única que achava que existiam outras maneiras - melhores e menos babadas - de mostrar que se ama alguém? A minha lingua estava bem e não queria sair para passear, obrigada. Bom, mas o tempo passou - de novo. E fui vendo e principalmente sentido as coisas de uma maneira diferente. Continuo achando beijo uma coisa estranha, mas hoje sei que é fundamental e - extremamente - viciante. Principalmente quando se esta apaixonada. Definitivamente não da para explicar o que se sente. Já quando não existe a paixão é simples e vazio de se descrever: desejo, just that. E me desculpem as moderninhas de plantão, mas ninguém vive só de desejo.

Pessoas se beijam a cada segundo, mas nem todas conseguem sentir o movimento das borboletas. Por favor, não deixem que as borboletas entrem em extinção.


Existe Beijo...

que pode matar.

que é exagerado.


super herói.


que vai além da morte.

que é festeiro.

matinal.

que arrepia até quem vê.

que é um tanto quanto perigoso.

de despedida.


bem molhado


e o meu.

Escutando: Sixpence None The Richer - Kiss Me

Marcadores: , ,



Novembro 2008
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010

Um pouco + sobre Txt inlove Txt Sentimentos Closet 5 coisas Moda Ougod De quinze em quinze Make up fotografia link Passendo pelo Flickr Meus Poemas Fikdik egocentrismo Famosos? Oscar Depoisdosquinze Tentando entender Textos dos outros Surtei Listen MeMe's

Para melhor visualização
desse BLOG utilize
o Google Chrome.

Loading