<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8047882057411995768\x26blogName\x3dDepois+dos+Quinze.\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://depoisdosquinze.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://depoisdosquinze.blogspot.com/\x26vt\x3d-6378420169756237470', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Ele não gostava de mim
6 de jan de 2010 quarta-feira, janeiro 06, 2010


Os dias foram se passando e as manhãs se tornaram cada vez mais o momento mais esperado do dia. As noites de insônia me serviam como ensaio, eu treinava cada palavra e gesto, para o dia seguinte. Eu queria mostrar que eu era a pessoa certa, queria que ele olhasse para mim de uma maneira diferente. Mesmo que para isso, eu precisasse me transformar em algo que eu nunca fui. E eu fiz isso, coloquei uma máscara e subi no palco. Eu sabia que isso não ia dar certo para sempre, mas eu me contentava com alguns momentos de realiadadade, eu já estava cansada de sonhar. Eu era bastante tímida, mas meu sentimento não. Então, em questão de pouco tempo ele descobriu, não pela minha boca, porque me faltava coragem, mas pela boca de minhas melhores amigas. Hoje sei que esse foi meu maior erro, eu deveria ter o enfrentado. A incerteza da sua reação me assombrou até pouco tempo atrás. O que eu sei é apenas o que me contaram: Ele não disse nada, apenas assenou com a cabeça e saiu andando. Eu não sei se isso foi um sinal bom ou ruim, só sei que a partir desse dia ele nunca mais falou comigo, pelo menos não como antes. Eu tive que me despedir das implicâncias e apelidos e me acostumar com o novo colega da frente: Aquele que nunca mais disse olhando nos meus olhos.
Parte um/ Parte dois

Marcadores:



Novembro 2008
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010

Um pouco + sobre Txt inlove Txt Sentimentos Closet 5 coisas Moda Ougod De quinze em quinze Make up fotografia link Passendo pelo Flickr Meus Poemas Fikdik egocentrismo Famosos? Oscar Depoisdosquinze Tentando entender Textos dos outros Surtei Listen MeMe's

Para melhor visualização
desse BLOG utilize
o Google Chrome.

Loading