<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8047882057411995768\x26blogName\x3dDepois+dos+Quinze.\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://depoisdosquinze.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://depoisdosquinze.blogspot.com/\x26vt\x3d-6378420169756237470', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Uma estranha em minha vida (Parte 1)
22 de ago de 2009 sábado, agosto 22, 2009


Ela nunca me contou como realmente se chamava, mas todos a chamavam de keel, já imaginei milhares de nomes com esse prefixo, mas sinto que não cheguei perto da realidade. A realidade, essa é a palavra que andei procurando, a palavra que andou se escondendo. Keel nunca conheceu realmente a realidade, sempre teve um mundo paralelo, e se sentia feliz assim, então nós meros suditos de sua beleza, tinhamos medo de discordar, afinal ela sabia o que dizia, se não sabia enganava sem qualquer falha! Ela me fez acreditar que um olhar tinha muito mais a contar que um livro, é por isso que eu sempre disse que ela tinha talento, mas ninguem nunca acreditou em mim, nem ela. Não me lembro ao certo como a conheci, eu sempre a via passar por aqui, ela atraia todos os olhares inclusive o meu. Ela visitava minha mente todos as noites e trazia com ela, um pouco de insonia. Minha mãe não gostava que toca-se em seu nome, eu sabia que ela temia keel e isso ao invez de me afastar, subitamente me intrigou, me interessou e me aproximou. Quando vi, já estava ao papos com keel, os assuntos surgiam de toda parte, da descida do morro da esquina, do ultimo degrau da escada, do banco da praça, ela me contava as coisas mas me escondia outras mas o divertido com certeza ira imaginar o que ela escondia, seus mistérios me deixavam mais presa do que no ultimo capitulo da novela, ela tinha poder sobre mim, sua beleza me indagava, seu sorriso me enfeitiçava, e eu só tinha vontade de ficar a ouvindo. Aprendi muita coisa com essa jovem mulher, ela tinha mais experiência do que a maioria das pessoas que convivi ate então,eu podia sentir isso. Essa intensa amizade não durou muito, você sabe como são vizinhos. Desde então só a vejo pela janela, sair todas as noites antes das onze, é hora marcada, compromisso para mim. Ver keel sumir na esquina da rua, ainda é um mistério para mim seu destino, e agora para você também!

Marcadores:



Novembro 2008
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010

Um pouco + sobre Txt inlove Txt Sentimentos Closet 5 coisas Moda Ougod De quinze em quinze Make up fotografia link Passendo pelo Flickr Meus Poemas Fikdik egocentrismo Famosos? Oscar Depoisdosquinze Tentando entender Textos dos outros Surtei Listen MeMe's

Para melhor visualização
desse BLOG utilize
o Google Chrome.

Loading